13.11.09

Na varanda com Tom Zé

Um bate papo descontraído com Tom Zé

Varanda da casa do amigo Edson Barbosa. Alí, bem à vontade, junto com sua esposa Neusa, está um dos grandes nomes da música no mundo. Tom Zé, iraraense, nosso conterrâneo. A conversa flui amigável.

“Estou no Edén”, fala Tom. “Para quem cuida de um pequeno jardim em São Paulo, isso aqui é o paraíso mesmo”, comento com ele. Árvores, galinhas, grama... sem falar da deslumbrante paisagem. Como o bate papo é bom, o tempo passa depressa.

Na pauta, música, política e outros assuntos. Personagens, tempos e lembranças de Irará. Até de quando Tom Zé foi candidato a vereador representando o partido comunista... Tom Zé lembra dos seus tempos como repórter do Jornal da Bahia. Edson Barbosa, hoje conceituado publicitário, narra seu começo na redação da Tribuna da Bahia.

Tom Zé descreve a expectativa da banda: “Você não tem idéia de como eles ficaram empolgados com esse show aqui de Irará”. “Também, Tom Zé, tantos anos lhe acompanhado e ouvindo você falar de Irará, não era pra menos”, digo.

Depois, pergunto do show. “Será algo especifíco para Irará”, diz Tom Zé. Desejo saber do repertório. “Será definido ainda junto com a banda”, informa, mas não deixa de adiantar que terá músicas sobre Irará. “O abacaxi, a lavagem... Maria Bago ainda ta censurada aqui?”. “Não, pode tocar a vontade”, respondo.

Contudo, as revelações não me dão certeza alguma. Como alertam Lauro Lelis e Jarbas Marins, no (filme) Fabricando Tom Zé, o repertório do artista pode ser todo substituído na hora do show. “E vamos nessa...”

2 comentários:

Djenal disse...

Aí Roberto! Massa seu blog. Até o show!

Anônimo disse...

Robertinho meu querido companheiro...saudades de vc rapaz..como andam as coisas??? fico muito feliz por seu blog e pelo seu sucesso profissional....fazendo o que ama...Grande abraço

Alan (Facom - Glória)